lançamento lançamento lançamento lançamento lançamento lançamento
lançamento lançamento lançamento lançamento lançamento lançamento

Prorrogada a primeira etapa de vacinação contra brucelose em Minas Gerais

Minas Gerais prorroga vacinação contra brucelose para bezerras até 31 de julho (Crédito: Renato Cobucci/Imprensa MG)
Minas Gerais prorroga vacinação contra brucelose para bezerras até 31 de julho (Crédito: Renato Cobucci/Imprensa MG)

Prazo da vacinação contra brucelose para bezerras vai até 31 de julho. Declaração ao IMA deve ser feita até 10 de agosto de 2024

Os produtores rurais de Minas Gerais ganharam mais tempo para vacinar suas bezerras contra a brucelose. A nova data limite para a vacinação é 31 de julho, e a declaração deve ser apresentada ao Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) até 10 de agosto de 2024.

O estado de Minas Gerais é reconhecido por suas políticas públicas voltadas ao controle da brucelose, uma zoonose que afeta principalmente bovinos e bubalinos. No entanto, um déficit de aproximadamente 130 mil doses de vacina no primeiro semestre levou o IMA a prorrogar a campanha de vacinação. Segundo a Portaria nº 2.313, publicada em 29 de junho, as fêmeas bovinas e bubalinas de 3 a 8 meses de idade devem ser vacinadas até 31 de julho, e a imunização precisa ser declarada ao IMA até 10 de agosto.

Dados do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal (PNCEBT) mostram que o estoque de vacinas B19 e RB51 em Minas Gerais é de cerca de 378 mil e 146 mil doses, respectivamente, distribuídos em mais de 650 estabelecimentos comerciais em 400 municípios. O índice vacinal anual recomendado pelo programa é de 80%, mas até o momento, apenas 39,5% das bezerras foram vacinadas.

O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) prevê que 14.500.000 doses da vacina B19 sejam produzidas entre junho e dezembro para regularizar os estoques. A compra da vacina, por ser de um imunizante vivo, é controlada e necessita de receita veterinária, além de ser mantida entre dois e oito graus centígrados até a aplicação.

A vacinação contra brucelose, obrigatória e realizada por profissionais cadastrados no IMA, é aplicada em bezerras de 3 a 8 meses duas vezes ao ano. As vacinas B19 e RB51 são usadas, sendo que a RB51 pode ser aplicada em fêmeas com mais de 8 meses. Após a vacinação, o produtor deve comprovar a imunização nas unidades do IMA com um atestado veterinário.

Além de vacinar, os produtores devem testar a brucelose em machos a partir de 8 meses e em fêmeas imunizadas com B19 a partir de 24 meses. Veterinários devem enviar relatórios mensais e notificar o IMA sobre resultados positivos inconclusivos. A vacinação de machos não é permitida, e as fêmeas vacinadas devem ser marcadas no lado esquerdo da face com o ano da vacinação. Em 2024, o número será 4; fêmeas vacinadas com RB51 devem receber a marca V.

A multa por não vacinar o rebanho é de 25 UFEMGs, equivalente a R$125,90 por bezerra, baseada no número de fêmeas de 0 a 12 meses da última declaração. A não declaração da vacinação resulta em multa de 5 UFEMGs, ou R$25,18 por bezerra. O IMA recomenda que os atestados de imunização sejam entregues prontamente em seus escritórios seccionais ou enviados por e-mail.

A brucelose é uma zoonose sem cura que pode causar aborto, queda na produção de leite e diminuição no ganho de peso, resultando em perdas econômicas para o setor pecuário e danos à saúde pública.