Podcast YouTube
Podcast Spotfy
Slide
Slide

Expocafé 2023: papel feminino, qualidade e inovação

Um dos estandes da Expocafé no primeiro dia do evento (Foto: Epamig)
Um dos estandes da Expocafé no primeiro dia do evento (Foto: Epamig)

Realizado em Três Pontas, no Sul de Minas, evento chega à 26ª edição. Mulheres foram o destaque do primeiro painel. Houve também oficinas de aromas e sabores e atividades de inovação

 

Em resumo:

  • Epamig é a organizadora do evento junto com entidades parceiras
  • Abertura nesta quarta-feira dia 17 destacou papel feminino na cafeicultura
  • Helena Maria Ramos (Embrapa Café), instituição parceira na realização da Expocafé, disse que mulheres não apenas ajudam, também lideram e chefiam
  • No espaço de Inovação, Nilda Soares (Presidente da Epamig) falou das inovações para reduzirem o uso de agrotóxicos
  • Já na área dedicada a Aromas e Sabores, uma oficina quatro formas diferentes de preparo de um mesmo café
  • Expocafé vai até sexta dia 19

 

As mulheres foram o destaque no primeiro painel da 26ª Expocafé, hoje à tarde. O evento vai até sexta-feira (19), no Campo Experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), em Três Pontas, no Sul de Minas. A maior feira de cafeicultura do Brasil abre espaços como a Expocafé Mulheres, Produtor Inovador e Aromas e Sabores. Em pauta, temas fundamentais para a atividade como equidade, oportunidades tecnológicas e preparo e consumo de café.

Em sua terceira edição, a Expocafé Mulheres debate o “Fortalecimento de Lideranças Femininas na Cafeicultura”. Hoje à tarde, o primeiro painel contou com as participações de Silvana Novais (Gerente da Mulher, do Jovem e da Inovação no Sistema Faemg/ Senar), Miriam Monteiro de Aguiar (Aliança Internacional das Mulheres do Café/IWCA Brasil) e Francielly Lasmar Balduíno (Fundação Neumann do Brasil), com apresentação da professora Danielle Baliza (Instituto Federal Sudeste de Minas/IF Sudeste).

Uma roda de conversa com lideranças femininas na cafeicultura encerrou a programação desta quarta-feira, com mediação da pesquisadora Helena Maria Ramos Alves (Embrapa Café ). “Nosso primeiro desafio foi mapear e mostrar que existem mulheres trabalhando e gerindo propriedades cafeeiras no Brasil. Em 2017, identificamos quase 90 mil mulheres dirigindo ou co-dirigindo fazendas de café. Nosso desafio é comprovar que as mulheres não apenas ajudam, também lideram e chefiam. Queremos igualdade de oportunidades e direitos”, enfatizou.

Inovação

Também nesta quarta-feira, foi aberta a programação do estande Produtor Inovador, contando com as presenças de autoridades como o Secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Thales Fernandes, e a Diretora-Presidente da Epamig, Nilda Soares. Nilda salientou a preocupação da Empresa em levar inovações e resultados de pesquisas recentes aos cafeicultores mineiros.

“A Epamig tem uma série de pesquisas realizadas para mitigar os efeitos que aceleram as mudanças climáticas que afetam diretamente a agropecuária. Nesse sentido, temos buscado, por exemplo, auxiliar nossos produtores a obterem o selo de certificação Carbono Zero para suas fazendas de café”, disse. “Outra questão importante são as inovações para reduzirem o uso de agrotóxicos. Por isso, a Epamig também tem desenvolvido trabalhos com uso de inimigos naturais das pragas do café”, concluiu a Diretora-Presidente.

Na sequência, tiveram início as atividades do Hub Conecta Day. A Vice-Presidente da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), Carmem Lúcia Chaves, destacou que existem “mais de 70 mil produtores associados, que estão divididos em 11 categorias de membros e espalhados por 14 estados brasileiros”. Também foram abordadas as diferenças nas produções de cafés especiais das diversas regiões de Minas Gerais e a importância de os cafeicultores estarem atentos aos movimentos de mercado, conhecendo bem a qualidade de seus produtos e buscando associações, cooperativas e certificações.

Aromas e sabores

O Espaço Aromas e Sabores teve atividades logo pela manhã, seguindo à tarde com a primeira oficina sensorial realizada pela equipe do Núcleo de Estudos em Qualidade, Industrialização e Consumo de Café (QI Café), da Universidade Federal de Lavras (UFLA). A oficina “Métodos de Preparo da Bebida” mostrou quatro formas diferentes de preparo de um mesmo café (V60, prensa, Kalita e Globinho), explicando as diferenças sensoriais de cada uma delas na xícara. Houve degustação da bebida para sentir os diversos perfis.

Até sexta-feira, dia 19, quem visitar a feira terá a oportunidade de conhecer novidades em maquinários de grande e pequeno porte e em insumos apresentados por 145 expositores. Nas dinâmicas de campo, é possível acompanhar o desempenho de alguns equipamentos.

A Epamig é a realizadora do evento com apoio de diversos parceiros.