Podcast YouTube
Podcast Spotfy
Slide
Slide

Tecnologia aumenta em até 30% produtividade de abacate

Região de São Gotardo é referência na produção de abacates (Foto: Shimada Agronegócios)
Região de São Gotardo é referência na produção de abacates (Foto: Shimada Agronegócios)

Especialistas recomendam o uso de microaspersores em conjunto com sistemas automatizados de irrigação e dispositivos para injeção de fertilizantes. A técnica de fertirrigação possibilita o fornecimento de nutrientes às plantas de forma parcelada, adequando-se às suas necessidades

A produção de abacate no Brasil apresentou crescimento expressivo nos últimos anos, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De 2017 a 2021, a expansão foi de cerca de 38,59%, ocupando atualmente 18,1 mil hectares no país. A produção em 2021 foi de 301 mil toneladas de abacate, incluindo o avocado, que é um parente do abacate muito utilizado na culinária dos países hispânicos.

A Região de São Gotardo, no Alto Paranaíba, é uma das maiores áreas produtoras de abacate no Brasil. Produtores locais investem cada vez mais em tecnologias como a irrigação localizada e a fertirrigação para melhorar a qualidade e a produtividade das plantas. A utilização dessas técnicas pode aumentar a produtividade em até 30%.

O agrônomo Carlos Barth, da área de suporte técnico da Rivulis, afirma que a irrigação localizada é uma das tecnologias que mais contribuem para o crescimento da produção de abacate. Ele recomenda o uso de microaspersores em combinação com sistemas automatizados de controle da irrigação e dispositivo para a injeção de fertilizantes. Além disso, a fertirrigação propicia o fornecimento dos nutrientes às plantas de forma parcelada e de acordo com as necessidades delas.

De acordo com Lucas Gonçalves Machado, Engenheiro Agrônomo da Coopadap, a irrigação na cultura do abacate é uma ferramenta fundamental no manejo dos estresses aos quais as plantas estão submetidas no campo. A irrigação associada ao uso de fertilizantes em momentos chaves do ciclo fenológico da cultura possibilita ganhos na florada, produtividade e também ajuda muito na qualidade e padrão das frutas. Além disso, em anos com má distribuição de chuvas o agricultor tem uma segurança maior em seu negócio, estando menos suscetível às perdas devido ao clima.

Lucas explica que, em algumas variedades tardias como a Margarida e o Breda, através da irrigação, há a possibilidade de explorar melhor a janela de colheita, possibilitando maiores ganhos na comercialização. 

Atualmente, na Coopadap, a maioria das áreas de abacate são irrigadas, onde podemos vivenciar os ganhos para o agricultor, assim como a segurança na atividade. 

Cenário nacional

Os Estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e o Distrito Federal são os que mais produzem a fruta no Brasil. E a produção tem se expandido para outras áreas, como o Ceará, que se beneficia dos momentos de entressafra dos principais produtores brasileiros.

A Ceagesp é o maior centro de comercialização da fruta no país e estima-se que cerca de 25% da safra brasileira seja comercializada lá. Entre janeiro e maio de 2023, aproximadamente 27,6 mil toneladas de abacate nacional e avocado passaram pela Ceagesp.

A produção de abacate no Brasil tem um grande potencial de crescimento e a utilização de tecnologias como a irrigação localizada e a fertirrigação pode contribuir significativamente para isso. Além disso, produtores locais têm investido em técnicas que permitem manter a fruta no pé por mais tempo, o que pode aumentar ainda mais a produtividade e a qualidade do produto final.