Podcast YouTube
Podcast Spotfy
Slide
Slide

Cafés premiados de Minas Gerais chegam às prateleiras dos supermercados

Café é um dos principais produtos mineiros (Foto: Emater/MG)
Café é um dos principais produtos mineiros (Foto: Emater/MG)

Concurso estadual contou com 1.422 amostras concorrentes de café arábica, de 153 municípios. Vencedor estadual foi Ercilei José de Oliveira, de Manhuaçu

 

Os cafés premiados do Governo de Minas já podem ser encontrados nas prateleiras de uma rede supermercadista. Agricultores das quatro regiões produtoras de café do estado – Matas de Minas, Cerrado Mineiro, Sul de Minas e Chapada de Minas – que foram premiados no 19º Concurso Estadual de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais, começam a ter seus produtos vendidos com destaque. As mercadorias integram a linha especial “Cafés Campeões”, lançada na última segunda-feira (2/10) na rede supermercadista Verdemar.

O evento contou com a presença do governador Romeu Zema, que destacou a importância do café para o estado de Minas Gerais. “Acho que poucos produtos significam tanto para Minas quanto o café, pela quantidade de empregos que gera e pelas exportações. Quando alguém fala de Minas Gerais, parece que automaticamente já vem em mente o café, assim como o queijo”, enfatizou.

Os “Cafés Campeões” trazem em suas embalagens foto e história do agricultor, a nota obtida na competição, características do produto, além do selo do concurso da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), empresa vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). Os rótulos especiais são uma forma de valorizar o cafeicultor e aproximar o consumidor daqueles que estão produzindo no campo.

Para a representante das mulheres cafeicultoras, Silvânia Veiga Teixeira de Lacerda, esta é uma boa oportunidade para a valorização dos produtos, principalmente para a geração de renda para os produtores. “Esse é um trabalho que fazemos com muito amor. Por isso, agradeço a todos os responsáveis por essa consideração. Nós somos pequenos produtores e a gente precisa dessa valorização”, ressaltou.

O concurso estadual contou com 1.422 amostras concorrentes de café arábica, de 153 municípios. O vencedor estadual foi o produtor Ercilei José de Oliveira, do município de Manhuaçu, região das Matas de Minas. Ele recebe assistência técnica da Emater-MG.

Os cafés participantes passam por análises físicas e sensoriais feitas por uma comissão julgadora formada por classificadores e degustadores de café. Na primeira etapa de análise, são classificados os cafés que obtêm o mínimo de 85 pontos, de uma escala que vai até cem, de acordo com as normas da Associação de Cafés Especiais (SCA), entidade internacional de referência no setor.

A produção dos cafés participantes também passa por uma avaliação socioambiental. Ações como a proteção de nascentes da propriedade, preservação de mata ciliar dos cursos d’água, entre outros, também valem pontos. As amostras selecionadas na primeira etapa seguem para uma nova avaliação.

O concurso é promovido pela Emater-MG em parceria com Seapa, Universidade Federal de Lavras (Ufla), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas e a Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Faepe), com apoio da rede Verdemar.

Minas Gerais é o maior produtor de café do país. Em 2022, foram produzidas no estado cerca 27,5 milhões de sacas de 60,5 quilos. Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, o café foi o produto mais comercializado nas exportações do agronegócio mineiro no último ano, atingindo a marca de US$ 6,9 bilhões, um recorde. O café mineiro foi vendido para 88 países. Alemanha (21%), Estados Unidos (20%), Bélgica (10%), Itália (10%) e Japão (5%) foram os principais destinos.

Com essa iniciativa, o Governo de Minas Gerais busca fomentar a produção local e valorizar os agricultores que se dedicam à produção dos melhores cafés do estado. A comercialização dos “Cafés Campeões” é uma oportunidade para que os consumidores possam degustar um produto diferenciado e conhecer a história dos produtores que estão por trás desse saboroso produto.