Podcast YouTube
Podcast Spotfy
Slide
Slide

Vitivinicultura na Região do Cerrado Mineiro: em Patos, Alma Rios aposta em inovação produzindo vinho de qualidade e gerando emprego e renda

Alma Rios: vinhedo em Patos de Minas é um dos destaques do Cerrado Mineiro (Crédito: Alma Rios)
Alma Rios: vinhedo em Patos de Minas é um dos destaques do Cerrado Mineiro (Crédito: Alma Rios)

Exemplo de inovação e tradição, vinhedo utiliza dupla poda desenvolvida pela EPAMIG. Alma Rios produz vinhos finos de alta qualidade

A viticultura é muito ampla e me atraiu não só pela questão do vinho, mas pelo conjunto de situações envolvidas. A declaração do produtor Maurício Rios abre a terceira e última reportagem especial da série “Vinhos do Cerrado”, no 100PORCENTOAGRO. Maurício é o convidado de Bruna Juber e Hellen Morais em um bate-papo no YouTube.

Conteúdos relacionados:

Vitivinicultura na Região do Cerrado Mineiro: conexão café e vinho

Premiado no café, Grupo DB é destaque também nos vinhos

O vinhedo Alma Rios, localizada em Patos de Minas, é um exemplo de inovação e tradição no Cerrado Mineiro. Utilizando a tecnologia de dupla poda desenvolvida pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), a Alma Rios tem conseguido produzir vinhos finos de alta qualidade, desafiando as expectativas de uma região tradicionalmente conhecida pela olericultura e especialmente respeitada em outros continentes pelos cafés com Denominação de Origem.

A técnica da dupla poda inverte o ciclo produtivo da videira, e a colheita das uvas ocorre no inverno. Com ela, o vinhedo explora o terroir único do Cerrado, caracterizado por um solo arenoso com boa drenagem e uma amplitude térmica significativa entre o dia e a noite. Essas condições são ideais para o cultivo da uva Syrah, que se destacou como a variedade mais adequada à técnica ao longo de quase vinte anos de pesquisa.

Técnica da dupla poda inverte o ciclo produtivo da videira (Crédito: Alma Rios)
Técnica da dupla poda inverte o ciclo produtivo da videira (Crédito: Alma Rios)

O Alma Rios, embora não seja amplamente destacado em portais especializados em vinhos, representa a vanguarda da vitivinicultura no Cerrado, mostrando que a região tem muito mais a oferecer além do café e de outras culturas olerícolas. Maurício Rios é um dos 11 produtores listados pelo engenheiro agrônomo Flávio Bambini, do projeto Educampo Sebrae MG, como os pioneiros do movimento que está colocando o Cerrado Mineiro no mapa do vinho brasileiro, contribuindo para a diversificação e enriquecimento da cultura vinícola do país.

Público poderá saborear vinhos produzidos em Patos de Minas e fazer zooturismo (Crédito: Alma Rios)
Público poderá saborear vinhos produzidos em Patos de Minas e fazer zooturismo (Crédito: Alma Rios)

Os vinhos Alma Rios ainda não são vendidos porque se encontram no processo de envase. Em breve, Maurício Rios pretende associar o vinhedo, os animais — que Rios classifica como “zooturismo” —, loja de vinhos e restaurante, além da vinícola. “A ideia é gerar de 20 a 25 empregos. A expectativa é que as pessoas tenham um novo local para conhecer uma cultura nova, em um lugar bonito como lazer nos finais de semana. Vamos ensinar às pessoas o que é o vinho, como ele foi produzido, para que elas entendam que não é só aquilo que está lá na garrafa. Tem todo um processo e uma história por trás”, conclui.