Podcast YouTube
Podcast Spotfy
Slide
Slide

PGPAF: Alho está na nova lista de bônus

Banca de frutas com manga e laranja. Alguns produtores rurais em volta.
Agricultura familiar: Conab mantém bônus para alguns produtos mineiros (Diego Vargas/Seapa/MG)

Além do alho, também estão na lista banana, batata, feijão-caupi e mel de abelha. Anúncio é da Conab

 

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) anunciou a lista de bônus do Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF). Ao todo, 13 produtos receberão bonificação em abril. Os cálculos da Conab incluíram a alho produzido no Paraná, a nabana de Alagoas, batata de Santa Catarina, feijão-caupi do Pernambuco e mel de abelha de São Paulo e Rio Grande do Sul.

Veja aqui a lista publicada no Diário Oficial da União.

Outros produtos foram mantidos em relação ao mês anterior. É o caso do açaí do Acre, alho de Santa Catarina, banana de Pernambuco, borracha natural  — do Tocantins, Bahia, Maranhão, Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Goiás, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, além da castanha-de-caju do Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte, feijão-caupi — Tocantins, Maranhão e Mato Grosso, manga do Distrito Federal, mel de abelha — Sergipe, Minas Gerais e Santa Catarina, sorgo do Tocantins, trigo — Rio Grande do Sul de Mato Grosso do Sul, triticale de São Paulo e uva de Santa Catarina.

O PGPAF

O PGPAF contempla os cultivos cujos preços recebidos pelo produtor ficaram abaixo da garantia. A portaria com os valores do bônus mensal foi publicada pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA), que deverá repassar também aos agentes financeiros. 

São os agentes financeiros que concedem o desconto aos produtores nos seus financiamentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Os produtos que alcançaram maior percentual de bônus foram a borracha natural extraída no Maranhão (50,67%). O segundo maior percentual foi para a castanha-de-caju cultivada no Piauí (40,92%), seguida pelo açaí produzido no Acre (37,5%).

Desta vez, o benefício entrou em vigência hoje (10), com validade até 9 de maio.