Podcast YouTube
Podcast Spotfy
Slide
Slide

IBGE: Alto Paranaíba impulsiona economia regional

Censo 2023 revelou crescimento reduzido da população brasileira (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)
Censo 2023 revelou crescimento reduzido da população brasileira (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

Dados do Censo 2023 mostram as principais cidades produtoras e suas culturas na região. São Gotardo passa os 40 mil habitantes. Sem serem contatos no censo, estimativa é que migrantes elevem população da cidade para quase 50 mil

Rodolfo de Souza, São Gotardo (28/Jun/2023) — O agronegócio do Alto Paranaíba, em Minas Gerais, continua a desempenhar um papel fundamental na economia local, impulsionando o desenvolvimento e gerando empregos. Segundo dados atualizados divulgados nesta quarta-feira (28) pelo censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as principais cidades produtoras da região se destacam em diferentes culturas agrícolas, consolidando-se como importantes polos do agronegócio no estado.

IBGE: anúncio de resultados iniciais do Censo 2022 é momento histórico

O município de Patos de Minas lidera a produção agropecuária na região, sendo reconhecido pela diversidade de suas culturas. Com destaque para o café, milho, feijão, sorgo e soja, Patos de Minas se firma como um dos principais produtores de grãos de Minas Gerais. Além disso, a cidade também se destaca na produção de leite e na pecuária de corte, contribuindo para o fortalecimento do setor agropecuário no estado.

Outro município relevante na região é Araxá, conhecido por sua produção de café de alta qualidade. Com solos propícios e um clima favorável, a cidade tem se destacado na produção de café especial, atraindo a atenção de apreciadores e compradores exigentes. A cultura do café tem impulsionado a economia local, gerando empregos e promovendo o desenvolvimento sustentável.

Outros destaques

São Gotardo é referência nacional na produção de alho e cenoura e no cultivo de grãos, principalmente de soja e milho. A cidade se destaca por sua produtividade e pela adoção de tecnologias avançadas no campo. Os produtores locais têm investido em técnicas modernas de manejo, resultando em altas colheitas e maior rentabilidade para o setor agrícola.

Em Lagoa Formosa, a produção de leite é a principal atividade agropecuária. Com fazendas leiteiras bem estruturadas e um clima favorável, o município tem se destacado na produção de leite de alta qualidade, abastecendo não apenas o mercado regional, mas também outras regiões do estado.

O censo do IBGE revela ainda que as cidades de Rio Paranaíba e Patrocínio são reconhecidas pela produção de grãos, notadamente café, milho e soja. O investimento em tecnologia, aliado a um manejo eficiente, tem contribuído para o crescimento e a produtividade dessas culturas nessas localidades.

O agronegócio no Alto Paranaíba não se resume apenas à produção de grãos e leite. A região também se destaca na produção de hortifrúti, com municípios como Ibiá, Campos Altos e Santa Juliana, conquistando cada vez mais espaço no mercado com produtos de qualidade e técnicas de cultivo sustentáveis.

Os dados atualizados do censo do IBGE evidenciam o potencial do agronegócio no Alto Paranaíba, ressaltando a importância das atividades agrícolas e pecuárias para a economia regional. O setor agropecuário da região continua a se reinventar, adotando tecnologias inovadoras e sustentáveis, garantindo o crescimento contínuo e a contribuição para o desenvolvimento socioeconômico do estado de Minas Gerais.

São Gotardo: oficialmente, mais de 40 mil habitantes

A cidade de São Gotardo, onde está a sede do 100PORCENTOAGRO, vem apresentando crescimento populacional e evolução socioeconômica notáveis, de acordo com os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no censo 2023.

No que diz respeito ao crescimento populacional, São Gotardo registrou aumento significativo em sua população. Segundo o censo, a cidade agora conta com aproximadamente 40.910 habitantes, o que representa um crescimento de 28,57% em relação ao último levantamento, realizado pelo IBGE em 2017. Esse crescimento pode ser atribuído a diversos fatores, como a expansão das atividades econômicas, a melhoria na qualidade de vida e a atração de novos moradores em busca de oportunidades.

A situação socioeconômica de São Gotardo também merece destaque. O município tem se destacado no setor agrícola, sendo reconhecido como um importante polo de produção de grãos e alimentos na região. De acordo com os dados do IBGE, a produção de grãos em São Gotardo teve um aumento significativo nos últimos anos, impulsionando a economia local e gerando empregos na agricultura. A agricultura familiar desempenha um papel fundamental nesse cenário, contribuindo para o desenvolvimento econômico local e para a sustentabilidade da produção agrícola.

Além disso, o setor de serviços tem se expandido em São Gotardo, impulsionado pelo aumento da população e pela demanda por novos empreendimentos comerciais. O comércio varejista e os serviços de alimentação têm se beneficiado desse crescimento, acompanhando a necessidade da população em busca de bens de consumo e opções de lazer. A geração de empregos no setor de serviços tem sido um importante impulsionador da economia local.

No entanto, é importante ressaltar que o crescimento populacional e o desenvolvimento socioeconômico também trazem desafios para a cidade. O aumento da demanda por serviços públicos, como saúde, educação e infraestrutura, requer investimentos contínuos por parte das autoridades locais. O planejamento urbano adequado se torna essencial para garantir uma boa qualidade de vida para a população e a preservação dos recursos naturais da região.

Outro aspecto a ser considerado é a necessidade de políticas de inclusão social e redução das desigualdades. Apesar do crescimento econômico, é fundamental que a população mais vulnerável seja beneficiada e tenha acesso a oportunidades de emprego, renda e educação. Programas sociais e investimentos em capacitação profissional podem contribuir para promover a inclusão e melhorar a qualidade de vida de todos os habitantes de São Gotardo.

População flutuante

Grosso modo, para efeitos censitários, o IBGE considera habitante de um município a pessoa que reside no local há pelo menos um ano e que, naquele período, não tenha deixado a cidade para passar uma temporada fora, qualquer que seja a razão. Este é o motivo para São Gotardo ter um número maior de residentes do que os quase 41 mil apontados pelo Censo.

A cidade recebe um grande número de migrantes para trabalharem nas lavouras. Estima-se que eles sejam, aproximadamente, 15 mil — são dados não oficiais, resultantes de avaliações de especialistas.

Somados aos locais, a população total se aproxima dos 50 mil moradores, utilizando sistematicamente os serviços públicos, movimentando o comércio e demandando políticas específicas.

Há uma explicação mais ampla a respeito no glossário do IBGE: “”Pessoa que tem o domicílio como local habitual de residência e nele se encontra na data de referência, ou que, embora ausente na data de referência, tem o domicílio como residência habitual, desde que essa ausência não seja superior a 12 meses em relação àquela data, em decorrência dos seguintes motivos: viagens (a passeio, a serviço, a negócio, de estudos etc.); internação em estabelecimento de ensino ou hospedagem em outro domicílio, pensionato, república de estudantes, visando facilitar a frequência à escola durante o ano letivo; detenção sem sentença definitiva declarada; internação temporária em hospital ou estabelecimento similar; e embarque a serviço (militares, petroleiros). Independentemente do período de afastamento do domicílio de origem, a pessoa é considerada como moradora no local onde se encontra na data de referência em decorrência das seguintes situações: internada permanentemente em sanatório, asilo, convento ou estabelecimento similar; moradora de pensionato e que não tem outro local habitual de residência; condenada com sentença definitiva declarada; ou migrante para outras regiões em busca de trabalho, tendo lá fixado residência”.

Abre-se, portanto, um gargalo em termos de destinação de recursos governamentais, já que o Censo produz informações imprescindíveis para a definição de políticas públicas e a tomada de decisões de investimentos da iniciativa privada ou de qualquer nível de governo. E também constituem a única fonte de referência sobre a situação de vida da população nos municípios e em seus recortes internos, como distritos, bairros e localidades, rurais ou urbanas, cujas realidades dependem de seus resultados para serem conhecidas e terem seus dados atualizados.

E daí?

Em suma, o censo do IBGE revela um panorama promissor para São Gotardo, com um crescimento populacional expressivo e um desenvolvimento socioeconômico notável, mas acende um sinal de alerta e um desafio para as lideranças. 

A cidade se destaca na produção agrícola e tem visto um aumento no setor de serviços. No entanto, é fundamental que as autoridades e a sociedade civil trabalhem em conjunto para enfrentar os desafios que acompanham esse crescimento, garantindo a sustentabilidade e o bem-estar de toda a população.