lançamento lançamento lançamento lançamento lançamento lançamento
lançamento lançamento lançamento lançamento lançamento lançamento

Exportação de café do Brasil caminha para recorde na safra 2023/24

Exportação recorde de café do Brasil: canéforas impulsionam crescimento e EUA lideram destinos (Crédito: CNA)
Exportação recorde de café do Brasil: canéforas impulsionam crescimento e EUA lideram destinos (Crédito: CNA)

Exportação de café do Brasil atinge recorde em maio e caminha para superar marca anual. Canéforas (conilon + robusta) registram forte crescimento e EUA se consolidam como principal destino

O Brasil chegou ao maior volume mensal e acumulado da história na exportação de café. O mês de maio de 2024 foi marcado por um recorde histórico nas exportações: 4,397 milhões de sacas de 60 kg, um aumento de 79,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Esse desempenho contribuiu para um total de 43,707 milhões de sacas exportadas nos 11 meses da safra 2023/24, colocando o país a apenas 2 milhões de sacas do recorde anual estabelecido na safra 2020/21. A superação desse marco é considerada altamente provável, considerando a média superior a 4 milhões de sacas embarcadas por mês desde outubro de 2023.

O sucesso das exportações brasileiras de café se estende para além do mês de maio e do acumulado da safra. No primeiro quinquênio de 2024, o país já havia registrado um recorde de 20,690 milhões de sacas exportadas, um aumento de 52,1% em relação ao mesmo período do ano passado. Em termos de receita cambial, o crescimento foi de 50,8%, alcançando US$ 4,473 bilhões, também o maior valor já registrado para o período.

Canéforas (Conilon + Robusta) impulsionam o crescimento

O desempenho das exportações de café deve-se em grande parte à performance dos cafés canéforas (conilon + robusta), que registraram um crescimento de 559,3% nos 11 meses da safra 2023/24 em comparação com o mesmo período do ciclo anterior. No primeiro quinquênio de 2024, o aumento foi de 499%. As exportações de canéforas totalizaram 7,412 milhões de sacas na safra atual e 3,442 milhões no acumulado do ano, impulsionando o segmento para 16,6% da participação total nas exportações.

Arábica se mantém líder em volume

Apesar do forte crescimento dos canéforas, o café arábica segue como o tipo mais exportado pelo Brasil, com 15,654 milhões de sacas nos primeiros cinco meses de 2024, representando 75,7% do total. Esse volume indica um aumento de 36,3% em relação ao mesmo período do ano passado.

Solúvel e Torrado completam o cenário

O segmento do café solúvel também apresentou crescimento, com 1,580 milhão de sacas exportadas no primeiro quinquênio de 2024, um aumento de 0,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Já o café torrado e torrado e moído registrou um decréscimo de 28,9% nas exportações, com 13.738 sacas embarcadas nos cinco primeiros meses do ano.

O presidente do Cecafé, Márcio Ferreira, atribui o sucesso das exportações à combinação de investimentos em pesquisa e tecnologia, que colocaram a qualidade e a sustentabilidade dos cafés brasileiros em destaque no mercado internacional, e à oferta suficiente para atender à crescente demanda global.

As incertezas sobre as colheitas em outros países produtores, como Vietnã e Indonésia, limitando a oferta, também contribuem para o cenário positivo para os cafés brasileiros, especialmente os canéforas, que ganham espaço no mercado internacional.

Destinos campeões

Os Estados Unidos se consolidam como o principal destino dos cafés brasileiros, com 3,471 milhões de sacas importadas nos primeiros cinco meses de 2024, um aumento de 37,6% em relação ao mesmo período do ano passado. A Alemanha, com 2,957 milhões de sacas (+75,1%), ocupa o segundo lugar, seguida por Bélgica (+232,2%), Itália (+50,3%) e Japão (+18,1%).

O crescimento das exportações para a União Europeia (71,9%) em antecipação à vigência do Regulamento da UE para Produtos Livres de Desmatamento (EUDR).