Podcast YouTube
Podcast Spotfy
Slide
Slide

Audiência em BH interessa a produtores e famílias rurais

Fatura de energia elétrica da Cemig
Aneel está ouvindo clientes para definir aumento de tarifa (Foto: Cemig)

Encontro vai debater reajuste da Cemig. Iniciativa é da Aneel

A Cemig está presente em 774 dos 853 municípios mineiros. No Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba não é diferente, e a concessionária atende praticamente todas cidades. Um dos dilemas do agronegócio é a política de reajuste das tarifas. Para debater o tema, a  Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) realiza uma audiência pública presencial em Belo Horizonte, no dia 17 de março, sexta-feira, às 9h. O Sistema Faemg Senar irá apresentar as considerações e demandas dos produtores e consumidores rurais.

O evento é aberto ao público e irá debater as tarifas que serão aplicadas nas contas a partir de 28 de maio. Os participantes receberão informações sobre o setor elétrico e os itens que mais causaram impacto de acordo com cálculos da Agência Nacional. 

A média considerada pela Aneel é de 10,03% de reajuste tarifário. “Será um momento muito oportuno para a participação dos consumidores, para apresentar e dar conhecimento à Agência sobre a real situação que apresentamos recorrentemente à distribuidora Cemig, especialmente, as dificuldades que enfrentamos no campo. Por todo o Estado, temos identificado muitos problemas, trazidos pelos nossos sindicatos de produtores rurais”, afirmou a assessora técnica do Sistema Faemg Senar, Aline Veloso.

O reajuste leva em conta a classe de consumo em que a instalação/unidade consumidora está. A maioria dos produtores rurais recebe a energia em baixa tensão, ou seja, estão na classe B2. Já os produtores atendidos em alta tensão pagam outra tarifa.

“Ainda que várias outras questões do setor elétrico e de cobranças de taxas e tributos também impactem no cálculo do reajuste, entendemos que o reajuste proposto para os consumidores rurais não se justifica, pelos diversos problemas que enfrentamos no campo: demora no restabelecimento quando falta energia, as perdas que temos no processo produtivo por conta disso, por exemplo. Precisamos de melhorias efetivas no atendimento, nas redes de distribuição e diminuição do tempo da religação da energia. Queremos continuar produzindo e agregando valor aos nossos produtos no campo, com qualidade e garantindo segurança alimentar”, complementou Aline. 

Produtores e sindicatos podem participar presencialmente da reunião com a Aneel. O encontro será realizado na sede da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), em Belo Horizonte.

Além desta reunião de sexta-feira dia 17, em Belo Horizonte, a Aneel ainda vai receber contribuições dos consumidores, órgãos oficiais e entidades representativas até 14 de abril, quando será finalizada a Consulta Pública 006/2023, com a definição das tarifas que entrarão em vigor a partir de 28 de maio.