Podcast YouTube
Podcast Spotfy
Slide
Slide

Morre o “pai da agricultura tropical”

Alysson Paolinelli, ex-ministro da Agricultura, faleceu aos 86 anos. Visionário, foi reconhecido por revolucionar a agricultura brasileira, especialmente no cerrado mineiro (Foto: Jefferson Rudy/Senado Federal)
Alysson Paolinelli, ex-ministro da Agricultura, faleceu aos 86 anos. Visionário, foi reconhecido por revolucionar a agricultura brasileira, especialmente no cerrado mineiro (Foto: Jefferson Rudy/Senado Federal)

Alysson Paolinelli faleceu aos 86 anos. Considerado o maior revolucionário da agricultura brasileira, foi figura fundamental para o cerrado mineiro

O Brasil perdeu hoje uma importante figura no campo da agricultura. Alysson Paolinelli, ex-ministro da Agricultura, faleceu nesta quinta-feira (29) aos 86 anos, na cidade de Belo Horizonte. Paolinelli, que ocupou o cargo de ministro entre 1974 e 1979, era amplamente reconhecido como o “pai da agricultura” no país.

Alysson Paolinelli estava internado há cerca de um mês no Hospital Madre Teresa, e seu estado de saúde se deteriorou após ser diagnosticado com embolia pulmonar, resultante de uma operação no fêmur à qual foi submetido. A morte do ex-ministro ocorre pouco antes de seu aniversário de 87 anos, que seria celebrado no dia 10 de julho.

O legado de Alysson Paolinelli na agricultura brasileira é inquestionável. Durante sua gestão como ministro da Agricultura, ele implementou importantes medidas e políticas que revolucionaram o setor no país. Sua visão estratégica e seu compromisso com a modernização e o desenvolvimento sustentável contribuíram para impulsionar a produção agrícola e transformar o Brasil em um dos principais players mundiais nesse segmento.

Nascido em Bambuí, Minas Gerais, em 1928, Alysson Paolinelli dedicou sua vida à agricultura e à pesquisa científica. Ele foi um dos responsáveis por introduzir novas técnicas e tecnologias agrícolas no Brasil, como o cultivo intensivo do milho e a utilização de fertilizantes modernos. Além disso, Paolinelli desempenhou um papel fundamental na expansão da produção de grãos no Cerrado, desbravando terras até então consideradas improdutivas.

O velório de Alysson Paolinelli será realizado no Palácio da Liberdade, sede histórica do governo mineiro. O horário ainda não foi definido, mas é esperado que autoridades, representantes do setor agrícola e admiradores do ex-ministro compareçam para prestar suas homenagens e reconhecer a importância de seu trabalho para o país.

Com a partida de Alysson Paolinelli, o Brasil perde não apenas um grande líder no campo da agricultura, mas também um exemplo de dedicação, visão e compromisso com o desenvolvimento do país. Seu legado continuará a inspirar e influenciar gerações futuras, que certamente seguirão seus passos na busca por uma agricultura moderna, eficiente e sustentável.

Legado

Alysson Paolinelli, engenheiro agrônomo e ex-ministro da Agricultura do Brasil, foi amplamente reconhecido por seu papel crucial na promoção da agricultura irrigada no cerrado mineiro. Sua influência e contribuição histórica vão além, alcançando o Programa de Assentamento Dirigido do Alto Paranaíba (PADAP). O notável legado de Paolinelli é reconhecido mundialmente e recentemente o levou a ser indicado para o prestigioso Prêmio Nobel da Paz.

Paolinelli, nascido em Bambuí, Minas Gerais, em 1936, teve uma carreira dedicada ao desenvolvimento agrícola e à promoção da segurança alimentar. Em seu mandato como Ministro da Agricultura durante os anos de 1974 a 1979, implementou estratégias visionárias que transformaram a agricultura brasileira, particularmente no cerrado mineiro. Sua abordagem inovadora revolucionou a produção de alimentos na região, promovendo o uso de técnicas modernas de irrigação e o aproveitamento do potencial agrícola ainda pouco explorado.

O cerrado mineiro, conhecido por suas terras áridas e condições desafiadoras, passou por uma verdadeira revolução agrícola sob a liderança de Paolinelli. Ele incentivou a adoção de práticas avançadas de irrigação, como o gotejamento e a aspersão, que possibilitaram o cultivo de uma variedade de culturas, incluindo café, soja, milho e feijão. Graças a essas técnicas inovadoras, o cerrado mineiro se tornou uma das regiões agrícolas mais produtivas do país, contribuindo significativamente para o crescimento econômico e a segurança alimentar do Brasil.

No entanto, o compromisso de Alysson Paolinelli com o desenvolvimento agrícola não se limitou apenas ao cerrado mineiro. Sua atuação no Programa de Assentamento Dirigido do Alto Paranaíba (PADAP) é amplamente reconhecida como um marco na promoção da agricultura familiar e na redistribuição de terras. O PADAP, criado durante seu mandato como ministro, tinha como objetivo principal promover a integração das famílias rurais, fornecendo assistência técnica e acesso a recursos para aumentar a produtividade agrícola e melhorar a qualidade de vida.

A trajetória exemplar de Alysson Paolinelli e suas contribuições inestimáveis para a agricultura brasileira e mundial foram recentemente reconhecidas com uma homenagem especial em sua cidade natal, São Gotardo, em Minas Gerais. No ano de 2021, autoridades, agricultores, pesquisadores e admiradores reuniram-se para celebrar sua carreira e legado em um evento marcante. Paolinelli foi aplaudido por sua visão pioneira e perseverança, que ajudaram a transformar a realidade agrícola do país e impulsionar o setor no cenário internacional.

Além de seu impacto na agricultura, Alysson Paolinelli recebeu destaque em outra esfera importante. Sua indicação ao Prêmio Nobel da Paz ecoou em todo o mundo e gerou entusiasmo entre os defensores da segurança alimentar e do desenvolvimento sustentável. Sua nomeação para o prêmio é um reconhecimento de seu incansável trabalho em prol da paz por meio da promoção da agricultura sustentável, da erradicação da fome e da redução das desigualdades sociais.

Alysson Paolinelli, com sua visão, liderança e contribuições valiosas, continua a inspirar agricultores, pesquisadores e líderes políticos a buscar soluções inovadoras para enfrentar os desafios globais da segurança alimentar e da sustentabilidade agrícola. Seu legado perdurará como um exemplo de como uma pessoa determinada pode transformar não apenas a agricultura, mas também as vidas de milhões de pessoas em todo o mundo.

Repercussão 

Três membros do Conselho Editorial do 100PORCENTOCENTO se manifestaram, logo após a divulgação do falecimento de Alysson Paolinelli.

Para Hugo Shimada (Shimada Agronegócios), “Doutor Alysson nos deixa exatamente quando completamos 50 anos do Programa de assentamento dirigido do Alto Paranaíba-PADAP. Eternamente seremos gratos pela sua característica visionária e empreendedora que revolucionou a agricultura tropical, contribuindo para a segurança alimentar do Brasil e do mundo!”.

Já o Diretor do Campus Rio Paranaíba da Universidade Federal de Viçosa (UFV-CRP), professor Renato Ruas, afirmou que “o Brasil perdeu hoje, um grande mineiro de Bambuí e um dos grandes responsáveis pelo nosso país ser uma das maiores potências mundiais no agronegócio, o Dr Alysson Paulinelli. Destaco que o Dr Allysson sempre demonstrou um carinho especial pelo Alto Paranaíba e pelo nosso Campus da UFV.

Considero importante que a nova geração saiba quem foi o Dr Alysson Paolinelli. É necessário dizer que, se hoje o Brasil é um dos maiores produtores de alimentos do mundo, muito devemos às ideias inovadoras e à paixão do Dr Alysson pela nossa agricultura tropical sustentável.

Ele ele sempre demonstrou muito respeito pelas instituições de ensino e nós da UFV, nos sentimos honrados com a atenção ao nosso Campus que está localizado no projeto PADAP, idealizado pelo Dr Alysson na década de 70 e que representou o grande marco da agricultura no cerrado brasileiro.

Para nós, fica a inspiração do seu espírito estrategista, coragem e principalmente, sua fé na ciência como ferramenta no enfrentamento e solução dos desafios da sociedade.

Que ele descanse em paz!”

Mírian Delgado, Diretora Técnica e Executiva na Associação Mineira dos Produtores de Alho (AMIPA), escreveu: “Sr. Alysson Paolinelli deixou um legado grandioso, que será sempre lembrado por sua grandiosidade e importância para a agricultura. Ele sempre sempre uma grande inspiração para toda a cadeia do Agronegócio.”