Podcast YouTube
Podcast Spotfy
Slide
Slide

Café do Cerrado Mineiro vence prêmio internacional

Guima Café foi o campeão da categoria Best of the Best (Foto: Divulgação)
Guima Café foi o campeão da categoria Best of the Best (Foto: Divulgação)

Guima Café, da São Mateus Agropecuária, é o campeão do 8º Prêmio Internacional de Café Ernesto Illy. Premiação foi nos Estados Unidos

A São Mateus Agropecuária é a campeã do 8º Prêmio Internacional de Café Ernesto Illy. A final foi realizada em Nova York (EUA), nesta quinta-feira (17). Pela primeira vez, um café produzido no Cerrado Mineiro conquistou o título. O Guima Café é produzido em propriedades localizadas em Patos de Minas e Varjão de Minas, e concorreu com representantes de outros nove países na categoria principal.

Amostras de 27 cafeicultores do Brasil, Costa Rica, El Salvador, Etiópia, Guatemala, Honduras, Índia, Nicarágua e Ruanda passaram por uma rigorosa avaliação de nove jurados de várias partes do mundo. Nas fases anteriores, especialistas da illycaffè analisaram amostras de grãos da safra 2022-2023 em laboratório. Destas análises saíram os finalistas: melhores lotes e produtores, levando em conta sustentabilidade e qualidade.

Em publicação no Instagram Oficial, a empresa considerou o dia de ontem memorável para o Guima Café com a conquista mundial, destacando que é o “café brasileiro, do Cerrado Mineiro, para o mundo”. 

Prêmio Ernesto Illy

Há mais de 30 anos, o Prêmio Internacional Café Ernesto Illy reconhece e valoriza a qualidade e a sustentabilidade de produtores do mundo todo. Desde 2015, premia o “Best of the Best”, escolhido por especialistas, e o “Coffee Lovers Choice”, por voto popular em degustações às cegas realizadas na rede de lojas Illy em vários países.

Guima Café foi o campeão da categoria Best of the Best. O título Coffee Lovers foi para produtores da Guatemala. 

Em publicação no seu perfil pessoal de uma rede social, o Presidente da illycaffè, Andrea Illy, parabenizou a conquista por ser um café brasileiro de origem regenerativa, e lembrou a origem do Prêmio Ernesto Illy em 1991, justamente no Brasil. “Em 25 anos de trabalho da nossa equipe de agrônomos e da Universidade do Café, transformamos o Brasil de líder em quantidade para líder em qualidade. Esse salto foi dado graças à agricultura regenerativa”, escreveu.

Além do Prêmio Illy Internacional, outra grande premiação reconheceu recentemente o valor dos cafés brasileiros. Em outubro, o café Geisha, citado entre os grãos mais valiosos do mundo, foi o vencedor do “Cup of Excellence”, concurso internacional considerado o Oscar da cafeicultura. A amostra vencedora foi cultivada na divisa entre Minas Gerais (Poços de Caldas) e São Paulo (São Sebastião da Grama).