Podcast YouTube
Podcast Spotfy
Slide
Slide

Café desperta o mundo e aquece conversas

No Dia Mundial do Café, um brinde a quem produz o melhor café do mundo (Diego Vargas/SEAPA/MG)
No Dia Mundial do Café, um brinde a quem produz o melhor café do mundo (Diego Vargas/SEAPA/MG)

Brasil une tradição e tecnologia na produção de café. Sabor e responsabilidade ambiental em cada xícara

No domingo, dia 14, será celebrado o Dia Mundial do Café. E o nosso brinde é para a bebida que desperta o mundo e aquece conversas. O Brasil, um dos maiores produtores globais de café, destaca-se não apenas pela qualidade de seu café, mas também pelo compromisso com a sustentabilidade e inovação na cafeicultura.

Conteúdos relacionados: Revista 100PORCENTO (Páginas 16, 26 e 56)

O sucesso da cafeicultura brasileira não seria possível sem o trabalho conjunto e a dedicação dos produtores rurais e dos trabalhadores envolvidos em cada etapa do processo. Desde o plantio até a colheita, cada grão de café carrega consigo o esforço e a paixão dessas pessoas. Elas não apenas cultivam o café, mas também preservam a tradição e a cultura que envolvem essa atividade milenar.

A cadeia de serviços que se estende da colheita até a xícara do consumidor final é igualmente vital. Ela engloba uma série de profissionais especializados: os catadores selecionam os grãos mais maduros; os torrefadores encontram o ponto exato de torra para cada variedade; os baristas transformam o café em arte; e os comerciantes garantem que o produto chegue às mãos dos consumidores. Cada um desses elos contribui para garantir café de qualidade com sabor único.

Foto: Diego Vargas/SEAPA/MG)
Foto: Diego Vargas/SEAPA/MG)

A interação do homem com a natureza, da tradição e com a inovação, torna o café brasileiro reconhecido mundialmente. Ao valorizar essa cadeia de serviços, o 100PORCENTOAGRO reconhece não apenas a importância econômica do café, mas também seu valor social e cultural, que une pessoas em torno de uma paixão comum.

Importância econômica

Atividade econômica estratégica para Minas Gerais, o café é o principal produto agrícola de exportação do estado e o segundo nas exportações gerais, depois do minério de ferro. As principais regiões produtoras de café são: Sul de Minas, Matas de Minas e Cerrado Mineiro. O estado é o maior produtor de café do mundo. Na safra 2019/2020, o estado produziu 55% da produção brasileira.

No Cerrado Mineiro, a produção de café é sustentável e gera desenvolvimento para 55 municípios. Todos os anos, 5 milhões de sacas de café são produzidas com base nos atributos da Denominação de Origem da Região do Cerrado Mineiro.

Inovação e Sustentabilidade

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) tem implementado uma série de inovações tecnológicas para promover a sustentabilidade na cafeicultura. Uma das iniciativas mais notáveis é a utilização de corredores ecológicos multifuncionais em áreas de café, que visam a conservação da biodiversidade e a melhoria da produção.

Esses corredores são estratégicos para conectar diferentes áreas de vegetação nativa, permitindo o livre trânsito da fauna e a dispersão de sementes, o que contribui para a saúde ecológica das plantações de café. A EPAMIG tem, também, focado em tecnologias de irrigação avançadas.

Epamig utiliza corredores ecológicos multifuncionais em áreas de café (Guima Café/Divulgação/SEAPA/MG)
Epamig utiliza corredores ecológicos multifuncionais em áreas de café (Guima Café/Divulgação/SEAPA/MG)

O uso de águas de qualidade inferior para irrigação e os avanços tecnológicos dos equipamentos são algumas das práticas inovadoras que estão sendo adotadas. A EPAMIG também destaca a importância da análise da disponibilidade hídrica e da agricultura irrigada, bem como a utilização de energia solar fotovoltaica na irrigação.

As iniciativas não apenas aumentam a eficiência da produção de café, mas também garantem a preservação dos recursos naturais, alinhando-se com os objetivos de desenvolvimento sustentável do estado e do país.

Trabalho coletivo constante

Entidades como o Conselho Nacional do Café (CNC), Conselho dos Exportadores (Cacafe), Embrapa, EPAMIG, Emater, cooperativas, governos estaduais e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) têm trabalhado juntos em várias iniciativas.

Recentemente, CNC e MAPA oficializaram um projeto de compensação de crédito de carbono para a cafeicultura brasileira, um passo significativo para a produção sustentável.

Além disso, o CNC tem operado como guardião do Funcafé, um fundo que apoia financeiramente a safra de café no país. Para a safra de 2024/2025, mais de R$ 6.886 bilhões serão disponibilizados, garantindo o suporte necessário para os cafeicultores nacionais.

O Dia Mundial do Café é uma oportunidade para refletir sobre o impacto dessa cultura na economia, no meio ambiente e na sociedade. É um momento para apreciar cada gole, reconhecendo o trabalho árduo dos produtores e a riqueza que o café traz para o mundo.